ENFERMAGE, CIÊNCIAS E SAÚDE

Gerson de Souza Santos - Bacharel em Enfermagem, Especialista em Saúde da Família, Mestrado em Enfermagem , Doutor em Ciências da Saúde - Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo.

http://pt.slideshare.net/gersonsouza2016

PESQUISE AQUI

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

CUIDADOS COM RN


LEITE MATERNO e AMAMENTAÇÃOO leite materno é o principal cuidado para com o RN. É através dele que a mãe proporciona segurança e conforto ao bebê e, principalmente fornece a ele a proteção a diversas doenças com as quais a mãe já teve contato ou para as quais recebeu vacinações. A produção do leite é estimulada pela própria sucção do RN e são comuns períodos de redução da produção de leite e seu posterior aumento novamente.Para a amamentação deve-se
escolher um local tranqüilo, com pouca luz e pouco barulho, lavando bem as mãos e limpando o peito com água morna. Oferecer os dois peitos a cada mamada, começando sempre pelo que foi oferecido em último lugar na mamada anterior. A criança deve mamar sempre que quiser e pelo tempo que quiser, porém algumas crianças são mais acomodadas e não se deve deixar por mais de 4 horas sem mamar no primeiro mês ou mamar por períodos prolongados em intervalos
pequenos, nos dois casos pelo risco de não apresentar ganho adequado de peso. A criança amamentada ao seio exclusivamente, não necessita de chás ou água, tão completa e perfeita é a sua constituição. A amamentação traz também a mãe grandes benefícios, entre os quais um risco muito menor de engravidar nos primeiros meses pós-parto e chances muito menores de contrair câncer de mama.
BANHO DE SOL
O banho de sol é importante para o desenvolvimento ósseo da criança e deve ser realizado antes das 10 e após as 16 horas, com o mínimo de roupas, recebendo a luz solar durante 5 minutos e aumentando gradualmente até cerca de 15 minutos ao dia. Ele auxilia também na redução da "icterícia", coloração amarelada na pele, na maioria dos casos condição passageira e que não implica em nenhum problema, mas que caso se perceba seu aumento convém uma reavaliação pelo pediatra o mais breve possível para analise de sua origem e intensidade, pois tal quadro também pode sugerir patologias mais sérias que somente o pediatra poderá orientar aos pais com maior exatidão e o risco diminui quanto mais rápido o diagnóstico do problema.
COTO UMBILICAL
A limpeza do coto umbilical é de grande importância para prevenir infecções, devendo sempre secá-lo bem após o banho e proceder a aplicação de álcool com uma haste com algodão (cotonete), até a sua queda que ocorre geralmente entre 1 a 2 semanas. Se for observada secreção ou sangramento no local deve-se proceder a limpeza com água oxigenada 10 volumes e, após esta, a limpeza com álcool, podendo-se utilizar o álcool comum (sem perfume) ou o álcool 70% (álcool de farmácia). Algumas vezes após a queda do coto umbilical o umbigo se mantém elevado que trata-se de uma herniação que na maior parte das vezes regride até o 2o. ano de vida, que não causa dor ou outros problemas para a criança. NÃO utilizar moedas, faixas ou curativos no coto umbilical ou na cicatriz umbilical. Se observar secreção umbilical após a queda do coto, procure a orientação do pediatra para sua melhor avaliação e conduta a ser tomada.
EXAME DO PÉZINHO
O "exame do pézinho" consiste em uma coleta de sangue do RN que propicia o diagnóstico de duas doenças, a fenilcetonúria e o hipotireoidismo congênito, que são causadoras de retardo mental na criança se não detectadas precocemente (até no máximo o terceiro mês de vida) são tratáveis evitando transtornos futuros. Atualmente já são disponíveis outros diagnósticos de doenças através do exame do pézinho, porém pouco difundidos em função do seu custo, enquanto estes dois já citados são obrigatórios através de uma Lei Estadual de São Paulo.
ACOMPANHAMENTO
O acompanhamento da criança deve ser iniciado entre o 10o. e o 15o. dias de vida, para uma primeira análise do desenvolvimento da mesma, esclarecimento de dúvidas dos pais e novas orientações. Durante o primeiro ano de vida o ideal é o acompanhamento mensal da criança, pois é uma fase de crescimento mais rápido e onde alterações podem ser mais rapidamente observadas, tais como anormalidades no crescimento do perímetro cefálico, ganho reduzido ou
excessivo de peso e/ou estatura, alterações no desenvolvimento esperado, etc.. Este acompanhamento progressivamente passa a ser bimestral entre 1 ano e 1 ano e meio a 2 anos e trimestral daí até os 3 anos, quando passa a ser semestral, salvo orientações em contrário se necessárias, como em crianças em algum tipo de tratamento ou com necessidades específicas de acompanhamento.
OUTRAS OBSERVAÇÕES IMPORTANTES SOBRE O BEBÊ: OLHOS: É freqüente a observação de manchas vermelhas dentro dos olhos ou inchaço nas pálpebras após o nascimento,
que desaparecem sem a necessidade de nenhum cuidado especial. Algumas crianças apresentam uma irritação ocular denominada conjuntivite química pelo uso de uma medicação protetora nos olhos logo após o nascimento, que cede com a limpeza freqüente com água fervida morna, mas em não existindo a melhora é necessário se identificar se trata-se de uma conjuntivite bacteriana ou outra patologia assemelhada.
MAMAS e GENITAIS: O inchaço das mamas do bebê, tanto em meninas como em meninos é freqüente, conhecido popularmente como "leite de bruxa" e deve-se aos hormônios maternos que passam ao bebê antes do nascimento, e que serão eliminados pela urina aos poucos. Não se deve espremer as mamas da criança pois há grande risco de causar infecção, complicação séria neste período. Nas meninas observa-se às vezes também uma saída de secreção e até um sangramento através da vagina, também devido aos hormônios recebidos da mãe.
FEZES: As primeiras fezes do bebê são bastante peculiares: escuras e pegajosas, conhecidas como mecônio. Aos poucos as fezes tomam a cor de gema de ovo, característica das fezes do bebê alimentado ao seio. Inicialmente o bebê costuma evacuar após cada mamada (cerca de oito vezes ao dia), o que vai diminuindo aos poucos. Grande parte das crianças quando alimentada somente com leite materno costumam por volta do 1o. mês ficar por 3 a 4 dias sem evacuar, sendo perfeitamente normal pelo aproveitamento integral do leite materno, não havendo restos a serem eliminados, diferentemente de outros leites que deixam resíduos que precisam ser eliminados.
FRIO/CALOR: O bebê apresenta a sensação de frio e calor semelhante aos adultos devendo ser agasalhado de acordo com a temperatura ambiente, sem exageros que podem inclusive causar febre. As roupas devem ser confortáveis deixando os braços e pernas com movimentos livres, sem ficar enrolando a criança que necessita desta liberdade para um melhor desenvolvimento. Os bebês prematuros apresentam algumas vezes uma maior dificuldade de manter uma temperatura adequada, daí se dizer que os prematuros são mais friorentos, porém na verdade, eles também são mais sensíveis as altas temperaturas, ficando febris e até mesmo desidratando com maior facilidade.
TROCA DE FRALDAS: Nas trocas de fraldas proceder a limpeza com água morna até retirar toda a sujeira. Em meninas proceder sempre a limpeza da frente para as laterais para evitar a contaminação da vagina ou bexiga com fezes que podem causar infecções. Após a limpeza pode-se aplicar cremes para prevenir as assaduras. Se persistirem assaduras convém a avaliação do pediatra para o tratamento adequado pois podem ser indicativas de algum outro problema ou existir algum componente que não esteja permitindo a sua cura. Ao se utilizar fraldas descartáveis procure se informar sobre sua procedência e observe se não causam reações alérgicas. Um dos principais agentes causadores destas irritações e alergias é a cola usada nas fraldas em contato direto com a pele.
ROUPAS E FRALDAS DE PANO: Devem ser limpas somente com água e sabão neutro, pois detergentes em pó, água sanitária e especialmente amaciantes de roupa podem causar grandes irritações à pele do bebê. Os amaciantes devem inclusive ser evitados durante todo o 1º ano de vida.
CÓLICAS: São freqüentes as cólicas no bebê, em geral até os três a três e meio meses de vida, que podem ter alívio através da colocação do bebê de bruços, especialmente sobre a barriga materna, ou pelo uso de fraldas mornas sobre a barriga da criança, e, principalmente pela flexão das pernas do bebê como se este andasse de bicicleta, deitado de costas , facilitando a eliminação de gases e o alívio da dor. Estas cólicas se devem o final da preparação do intestino da criança que ao nascer ainda é imaturo, estando no final do processo de formação das vilosidades que serão responsáveis pela absorção dos diferentes tipos de alimentos e pela colonização por bactérias que são necessárias ao organismo humano, responsáveis pela degradação de alguns alimentos e sobretudo pela produção de vitaminas que nos são essenciais.
CHORO: Neste período inicial de contato com a vida exterior a criança chora por diversas razões visando atrair a atenção dos pais: por estar com fome, por estar molhada, devido as cólicas, sono, calor ou frio, desejo de companhia ou atenção, estranhando barulhos com os quais ainda não está familiarizada ou em reação ao estado de humor da sua própria mãe. O
ideal quando a criança chora é justamente manter a tranqüilidade e observar com calma a criança que muitas vezes vai ela própria indicar o que está acontecendo.