ENFERMAGE, CIÊNCIAS E SAÚDE

Gerson de Souza Santos - Bacharel em Enfermagem, Especialista em Saúde da Família, Mestrado em Enfermagem , Doutor em Ciências da Saúde - Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo.

http://pt.slideshare.net/gersonsouza2016

sábado, 23 de janeiro de 2010


Hemorragia

O grande risco de uma hemorragia, é a possibilidade da ocorrência de um choque. O risco seguinte, é a possibilidade de uma infecção. Portanto, a primeira prioridade será a prevenção da ocorrência de um choque, e em segundo lugar prevenir e combater uma possível infecção. O sangue é uma potencial fonte de infecção. Em situações de emergência com hemorragia, deve proteger-se a si com umas luvas de látex, as quais se encontram no equipamento móvel de ressuscitação. Em situações menos graves, veja as regras a seguir na desinfecção das mãos e dos instrumentos utilizados. Quando há hemorragia, as paredes das vasos sanguíneos contraem-se quase imediatamente. Isto reduz as perdas de sangue, mas apesar disso a hemorragia não pára. Uma célula especial do sangue, as plaquetas sanguíneas, iniciam as reparações temporárias dos estragos. Outras células iniciam as reparações definitivas com tecidos cicatrizantes. A hemorragia pode ser difícil de parar se o paciente tiver tomado analgésicos ou medicamentos !blood-thinning!, por exemplo ácido acetilsalicílico, ou tiver sido envenenado com químicos, por exemplo remédio para os ratos, ou se tiver uma doença no fígado a qual afecte a capacidade do sangue para coagular. As hemorragias nas artérias são em forma de jorro e pulsos. As hemorragias nos capilares são da forma (seeping). Hemorragias nas veias são de uma forma muito intensa, mas não pulsada. A maior parte dos casos de hemorragias, resultam de uma combinação de estragos arteriais, venosos e capilares. A quantidade de sangue depende da extensão e localização do ferimento.

Paragem da hemorragia

  • o sangrar diminuirá se levantar o local do ferimento o mais possível acima do coração. Se achar necessário, estenda o paciente no chão.
  • a hemorragia venal, venosa e arterial (pequena) pára se aplicar uma compressa.
  • a hemorragia venosa pára quando, juntamente com a compressa, pressionar com os dedos a veia durante cerca de cinco minutos.
  • a maior parte das hemorragias arteriais pára quando pressionar a artéria com os seus dedos durante dez minutos.
  • em ferimentos maiores com hemorragias arteriais, pode ser necessário estancar por completo uma artéria que não pare de sangrar. Confira com o médico.

- Use somente a força necessária dos seus dedos para parar a hemorragia. Normalmente a pressão requerida é inferior àquela que pensa necessária.

Grande perda de sangue Existe imediatamente um grande risco de perder uma grande quantidade de sangue, por isso, deverá inserir imediatamente pelo menos uma agulha intravenosa (VENFLON) e deverá ser dada, através de drip, uma solução de cloreto de sódio. Verifique o estado da consciência, a respiração, o pulso e a pressão sanguínea pelo menos de meia em meia hora durante a fase mais séria da recuperação do paciente. Verifique se a urina é expelida e se corresponde a pelo menos 50-100 ml por hora.

Uma perda de sangue de 30% numa pessoa saudável (corresponde a cerca de litro e meio) leva a uma pulsação rápida sem uma queda de pressão sanguínea. Por isso, uma queda intensa de pressão sanguínea indicará uma perda de sangue superior a 30%. Uma fractura do pélvis ou da coxa pode originar grandes acumulações locais de sangue, podendo desta forma, existir uma grande perda de sangue sem hemorragias visíveis.

Seguindo as instruções do médico, dê uma solução infusora de cloreto de sódio como substituição do sangue perdido. Para corrigir a pressão sanguínea, que pode começar a baixar, dê hydroxyethyl amyloid.


Colocação de uma compressa

- Colocação de uma compressa

É necessário:

  • luvas.
  • compressa esterilizada.
  • um objecto duro que caiba no ferimento.
  • liga elástica.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Coloque a compressa.
  3. Coloque o objecto duro na compressa exactamente sobre o ferimento.
  4. Coloque a liga elástica bem apertada. Verifique a partir da resposta capilar numa unha, que a circulação sanguínea não se encontra afectada.
  5. Depois da emergência terminar, limpe a ferida e aplique uma nova compressa com uma liga elástica esterilizada. Se a hemorragia continuar, estanque o vaso sanguíneo com uma rosca absorvente.

Estancar uma artéria

Enquanto procura os instrumentos, o recomeçar da hemorragia pode ser prevenido aplicando pressão externa. Nos braços e nas pernas pode parar a circulação sanguínea com um torniquete. A corrente sanguínea só pode ser parada durante uma a uma hora e meia, doutra forma os tecidos morrem.

Quando estiver a estancar, não é necessária a anestesia local pois as fibras que sentem a dor encontram-se nas partes mais exteriores da pele.

- Estancar uma artéria.

É necessário:

  • Luvas.
  • Bocados esterilizados de gaze.
  • Solução infusora de cloreto de sódio.
  • Haemóstat curvo (grampo arterial)
  • Tesouras.
  • Linha absorvente de suturação e agulha.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Aplique na ferida, cuidadosamente, pedaços de gaze e solução esterilizada de cloreto de sódio, enquanto procura o vaso sanguíneo responsável pela hemorragia.
  3. Grampeie o haemostat em torno do vaso, como é mostrado na figura anterior. Repare na curva do haemostat e na colocação da sua ponta em relação ao vaso.
  4. Volte a tocar suavemente no ferimento e veja se a hemorragia parou. Podem existir vários vasos a sangrar.
  5. Puxe, cuidadosamente, para cima o vaso.
  6. Coloque a linha em torno do haemostat e ate com um nó bem apertado.
  7. Corte a linha perto do nó.
  8. Remova o haemostat cuidadosamente.
  9. Limpe o ferimento, aplique uma compressa e verifique se existe mais alguma hemorragia.

Pequenos ferimentos na cabeça

Pequenos ferimentos superficiais na cabeça e na face podem sangrar muito devido ao bom fornecimento de sangue a essas áreas. A hemorragia pode ser estancada de uma forma relativamente fácil, bastando para isso fazer uma pequena pressão durante cinco minutos.

É necessário:

  • Luvas.
  • Compressa esterilizada.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Aplique a compressa na ferida.
  3. Pressione com a palma da sua mão até a hemorragia parar.
  4. Desinfecte e coloque um penso na ferida.

Hemorragia Nasal

A hemorragia nasal pode ocorrer espontaneamente, por exemplo devido a uma infecção, a um espirro, ao facto de estar a tomar medicamentos (blood-thinning medicine) ou então devido a uma causa externa, por exemplo uma explosão.

A hemorragia pode ser arterial, venosa, capilar ou uma combinação destes. Na grande maioria dos casos, a hemorragia tem origem na parte macia frontal da narina, e muito frequentemente, na parede que separa as narinas. Estes casos são muitas vezes hemorragias arteriais.

A hemorragia localizada na parte interior do nariz, é muito rara e é impossível fazer uma localização exacta da origem da hemorragia.

Parar uma hemorragia nasal frontal

- Parar uma hemorragia nasal, método 1.

Método 1:

  1. Sente o paciente com a cara um pouco inclinada para a frente e deixe-o apertar a parte frontal maleável do nariz.
  2. O braço esquerdo do paciente deverá ficar em repouso sobre uma mesa, com a palma da mão virada para a cara e com o nariz apertado entre os seus dedos indicador e do meio. Verifique se toda a parte maleável do nariz se encontra apertada.
  3. Com os dedos da sua mão direita, aperte os seus dedos da mão esquerda para aumentar a pressão sobre o nariz.
  4. Mantenha a pressão cerca de dez minutos.

Método 2:

Se a hemorragia não parar depois de uma simples compressão, consulte o médico e insira no nariz um chumaço de gaze embebido numa solução de lidocaína e adrenalina.

- Parar uma hemorragia nasal, método 2.

É necessário:

  • Luvas.
  • Bomba de sucção e tubo.
  • Caneta de luz.
  • Chumaços de algodão ou gaze.
  • Um pequeno recipiente (um copo ou tigela).
  • 2 a 5 ml de solução injectora de lidocaína com adrenalina 2%.
  • Pinças.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Coloque os chumaços de algodão ou gaze no recipiente e embeba-os com 2-5 ml de lidocaína com adrenalina 2%.
  3. Em primeiro lugar, identifique qual é a narina que se encontra a sangrar e depois, sugando todo o sangue dessa narina, qual a localização dessa hemorragia. O paciente deve inclinar a sua cabeça para trás para que o possa examinar melhor. Começando pela parte frontal da narina e usando, ocasionalmente, a caneta de luz tente descobrir o local da hemorragia.
  4. Usando as pinças, aplique o chumaço húmido directamente no local da hemorragia.
  5. Remova as pinças enquanto pressiona o chumaço a partir do exterior.
  6. Pressione o nariz durante dez minutos.
  7. Remova o chumaço.

Método 3:

- Parar uma hemorragia nasal, método 3.

Se a hemorragia não tiver parado depois de aplicado o tratamento anterior, é necessário colocar um tampão de gaze na parte exterior maleável da narina.

É necessário:

  • Luvas.
  • Um pedaço de gaze com cerca de 1 cm de largura e 20-30 cm de comprido.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Enrole o pedaço de gaze de modo a ficar com a forma de uma bola, não muito apertada.
  3. Insira a bola de gaze na parte da frente da narina. A bola deve ficar bem colocada por forma a que pressione o local da hemorragia.
  4. Remova a bola 24 horas depois, usando para isso pinças.

Parar hemorragias nasais posteriores

Fazendo a sucção e usando a caneta de luz, identifique qual a narina que está a sangrar (veja a hemorragia frontal, método 2, ponto 3). Nos adultos, o comprimento da base do nariz é de 6,5 a 7,5 cm.

- Parar uma hemorragia nasal posterior.

É necessário:

  • Luvas.
  • Pedaço de gaze com 5 cm de largura e 50 a 75 cm de comprimento.
  • 5 a 10 ml de solução injectora de lidocaína com adrenalina 2%. A dose máxima é de 20 ml.
  • Um pequeno recipiente (um copo ou tigela).
  • Pinças.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Coloque o pedaço de gaze no recipiente.
  3. Embeba o pedaço de gaze com 5-10 ml de lidocaína com adrenalina.
  4. Meça 7,5 cm na pinça.
  5. Mantenha uma ponta do pedaço de gaze no exterior do nariz enquanto insere o resto em camadas ao longo da base do nariz. A primeira camada é inserida cuidadosamente ao longo de 7,5 cm da base do nariz. A segunda camada é colocada sobre a primeira e inserida até onde for possível.
  6. Continue até o nariz ficar tapado.
  7. Peça ao paciente para abrir bem a boca e com a caneta de luz ilumine a garganta para verificar se existe alguma hemorragia na garganta.
  8. Remova a gaze 24 horas depois.

O paciente com hemorragia nasal deve repousar durante 24 horas com a cabeça levantada. O paciente deve evitar mexer no nariz, assoar-se e beber bebidas quentes ou com álcool.


Hemorragia depois de uma extracção de dentes

Nos dias seguintes a uma extracção de dentes, existe um risco de hemorragia do local da extracção.

Método 1:

É necessário:

  • Luvas.
  • Rolo de gaze.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Faça uma salsicha de gaze com 2 a 3 cm de largura e com cerca de 2 cm de espessura.
  3. Coloque a salsicha no local da hemorragia.
  4. Deixe o paciente fazer pressão com os dentes.
  5. Remova a salsicha dez minutos depois.

Método 2:

Se a hemorragia não tiver parado, depois de uma compressão normal, deve fazer uma sutura.

- Sutura de uma hemorragia causada por uma extracção de dentes.

É necessário:

  • Luvas.
  • Pedaços de gaze.
  • Solução infusora de cloreto de sódio 0,9%.
  • Pinças.
  • Suporte de agulha.
  • Tesouras.
  • Linha não absorvente e agulha.

Faça isto:

  1. Coloque as luvas.
  2. Usando as pinças e os pedaços de gaze, limpe o local da ferida e depois molhe-o com a solução esterilizada de cloreto de sódio 0,9%.
  3. Coloque a agulha no suporte. Tenha a certeza que a agulha está exactamente colocada no suporte e que (grip) está o mais próximo possível da linha.
  4. Comece a sutura do lado mais próximo da bochecha e insira a agulha em direcção à língua. Atravesse a gengiva a uma profundidade de 5 mm e próximo do dente vizinho. Deixe uma boa ponta comprida no local da inserção.
  5. Com a mesma linha, insira outra vez a agulha na gengiva, desta vez na direcção da bochecha, a uma profundidade de 5 mm, e perto do dente que se encontra a seguir.
  6. Retire a agulha.
  7. Puxe as pontas da linha ao mesmo tempo e dê um nó bem apertado.
  8. Enxague novamente com gaze e verifique se a hemorragia parou.

fonte: http://portal.ua.pt/projectos/mermaid/hemorragias.htm