ENFERMAGE, CIÊNCIAS E SAÚDE

Gerson de Souza Santos - Bacharel em Enfermagem, Especialista em Saúde da Família, Mestrado em Enfermagem , Doutor em Ciências da Saúde - Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo.

http://pt.slideshare.net/gersonsouza2016

PESQUISE AQUI

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Estudo inédito alerta para vetor de Chagas no ambiente urbano

Vetores reconhecidos da doença de Chagas, insetos triatomíneos da espécie Triatoma maculataforam foram identificados, pela primeira vez, colonizando um ambiente domiciliar no Brasil. O achado inédito é relatado na edição de novembro da revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz. No artigo, os cientistas do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), da Universidade Federal de Roraima, da Secretaria estadual de Saúde de Roraima e do Núcleo de Entomologia do Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami contam que 127 triatomíneos, popularmente conhecidos como barbeiros, foram encontrados no interior de um tijolo em um nicho de ar condicionado em um condomínio residencial em Boa Vista, Roraima. Segundo os autores, a descoberta inesperada aponta para um possível aumento do risco de transmissão do agravo no ambiente urbano. Além disso, considerando a associação do T. maculata com pombos, o estudo reforça a importância de manejo adequado desses animais.
De acordo com os pesquisadores, a identificação de barbeiros em diferentes fases de desenvolvimento, desde ovos até adultos, mostra que a colônia estava estabelecida no ambiente urbano (foto: Alice Ricardo-Silva et al)

Entre os dez artigos publicados na edição, destaca-se ainda uma pesquisa que traça um panorama internacional da oferta de cursos na área da biologia de vetores. Liderado pelo Programa Especial para Pesquisa e Treinamento em Doenças Tropicais (TDR, na sigla em inglês), ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), e pela Universidade de Tours, na França, o trabalho revela desafios, como a concentração regional e o baixo uso de tecnologias de ensino à distância. O estudo também sugere soluções para o problema, incluindo a criação de um portal mundial com informações para orientar os estudantes, que deve ser apoiado pelo TDR. Todos os artigos publicados no periódico Memórias do Instituto Oswaldo Cruz podem ser acessados gratuitamente online. A seguir, confira mais sobre as pesquisas em destaque.
Infestação em condomínio residencial
A identificação de 127 insetos triatomíneos em um edifício residencial em Boa Vista, Roraima, é o primeiro relato de colonização domiciliar por insetos da espécie T. maculata no Brasil. O achado foi realizado durante uma aula prática de entomologia, em setembro de 2015. O condomínio foi escolhido como local para coleta devido a relatos de moradores sobre a presença de barbeiros. No entanto, a descoberta da infestação massiva em um imóvel com boas condições de construção surpreendeu os pesquisadores. “O fato de que barbeiros T. maculata podem viver em nichos externos em paredes bem rebocadas da habitação humana é um fato novo na epidemiologia da doença de Chagas nas Américas que não deve ser negligenciado”, ressaltam os autores no artigo.
Vetores reconhecidos do parasito Trypanosoma cruzi, causador da doença de Chagas, os barbeiros T. maculata estão presentes na Colômbia, Guiana, Suriname e Venezuela, além de Roraima, no Brasil. Geralmente, os insetos são detectados no entorno dos domicílios; em ninhos de pássaros, principalmente pombos; galinheiros; chiqueiros e currais. No caso relatado no estudo, os insetos foram encontrados em um condomínio de uma área residencial urbanizada, limitada por uma floresta secundária. Os 127 barbeiros estavam dentro de um tijolo em um nicho de ar condicionado de concreto, no qual também havia presença de pombos. A identificação de insetos em diferentes fases de desenvolvimento, desde ovos até adultos, mostra que a colônia estava estabelecida.
Embora os barbeiros tenham sido encontrados na fachada externa do edifício, os pesquisadores observaram que muitos nichos de ar condicionado eram separados do interior dos apartamentos apenas por papelões e moradores relataram já terem avistado triatomíneos dentro dos imóveis. Considerando a proximidade frequente entre ninhos de pombos e residências, os cientistas avaliam que a capacidade do T. maculata para colonizar imóveis pode aumentar o risco de transmissão da doença de Chagas no ambiente urbano. “A possibilidade de expansão da distribuição geográfica de T. maculata por meio de transporte passivo por pombos, a possibilidade de encontrar animais infectados pelo T. cruzi e a colonização da habitação humana são importantes fatores de risco para a transmissão vetorial urbana de T. cruzi que devem ser abordados com o devido cuidado e urgência”, destacam.
A Secretaria estadual de Saúde se responsabilizou pelos procedimentos de desinfestação. Os triatomíneos coletados na pesquisa ainda serão analisados para verificar a possibilidade de infecção pelo T. cruzi. Acesse o estudo.
Caminhos para aprimorar formação
Considerando a carência de especialistas em biologia de vetores e a importância desses profissionais para o enfrentamento de doenças como malária, zika, dengue e chikungunya, pesquisadores realizaram um mapeamento internacional dos cursos disponíveis na área. O trabalho contemplou formações em diferentes níveis, como técnico, mestrado e doutorado, oferecidas em seis idiomas: inglês, espanhol, francês, português, alemão e italiano. Por meio da pesquisa em sites de busca e nas páginas de universidades, foram identificados cerca de 140 cursos.
Ainda que deixe de fora países como Rússia, China e Japão, a pesquisa permite traçar um panorama amplo da área. A distribuição dos cursos revela concentração na região das Américas e representação reduzida da África ocidental. Além disso, quase 90% dos treinamentos são presenciais, enquanto pouco mais de meia dúzia são oferecidos a distância e dois de forma mista. “Os cursos online permanecem uma raridade e poucos parecem estar surfando na onda recente de cursos online abertos e massivos [conhecidos como MOOC, na sigla em inglês]”, comentam os autores no artigo.
A partir do levantamento, os pesquisadores chegam a três conclusões. Em primeiro lugar, é difícil avaliar o conteúdo dos cursos através das páginas na internet e identificar aqueles adequados às necessidades de cada estudante. Em segundo lugar, existe um descompasso entre a oferta de cursos e a demanda educacional para enfrentar problemas urgentes. Por fim, um esforço global em educação precisará recorrer à combinação de cursos tradicionais com inovações, como é o caso dos MOOCs.
Tendo em vista este cenário, os autores consideram que o campo da biologia de vetores precisa urgentemente de ações para harmonização, consolidação e modernização, com adoção de material didático de última geração e oferta de cursos voltados para grupos de organismos e questões epidemiológicas específicas. Além disso, a criação de um portal único a nível mundial para orientar os estudantes, especialmente aqueles que vivem em locais remotos, é apontada como uma medida necessária, que deve ser apoiada pelo TDR. 
 
fonte: https://agencia.fiocruz.br/estudo-inedito-alerta-para-vetor-de-chagas-no-ambiente-urbano?utm_source=Facebook&utm_medium=Fiocruz&utm_campaign=campaign&utm_term=term&utm_content=content