ENFERMAGE, CIÊNCIAS E SAÚDE

Gerson de Souza Santos - Bacharel em Enfermagem, Especialista em Saúde da Família, Mestrado em Enfermagem , Doutor em Ciências da Saúde - Escola Paulista de Enfermagem - Universidade Federal de São Paulo.

http://pt.slideshare.net/gersonsouza2016

PESQUISE AQUI

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Cânceres de Pele


O câncer de pele é a forma mais comum de câncer, mas a maioria dos tipos de câncer de pele é curável. As formas mais comuns de câncer de pele habitualmente ocorrem nas áreas expostas ao sol. Os indivíduos que se expuseram excessivamente à radiação solar, sobretudo aqueles com pele clara, apresentam uma chance maior de apresentar câncer de pele.

Carcinoma Basocelular

O carcinoma basocelular é um câncer que se origina na camada mais profunda da epiderme. Habitualmente, o carcinoma das células basais ocorre nas superfícies da pele expostas à luz solar. Os tumores começam como formações muito pequenas, brilhantes, duras e elevadas sobre a pele (nódulos) e crescem muito lentamente, algumas vezes tão lentamente que podem passar desapercebidos. No entanto, a velocidade de crescimento varia muito de tumor para tumor com alguns crescendo até 1,5 cm em um ano. Os carcinomas basocelulares podem ulcerar ou formar crostas no centro. Às vezes, eles crescem de forma mais plana e se parecem um pouco com cicatrizes. Em alguns casos, a borda do câncer pode apresentar um aspecto brancoperoláceo. O câncer pode alternadamente sangrar e formar uma crosta e cicatrizar, fazendo com que o indivíduo acredite que se trata de uma ú lcera e não de um câncer. Na verdade, essa alternância entre sangramento e cicatrização é freqüentemente um sinal importante de carcinoma basocelular ou de carcinoma epidermóide. Ao invés de se disseminar (produzir metástases) para partes distantes do corpo, os carcinomas basocelulares geralmente invadem e destróem os tecidos circunjacentes. Quando eles crescem perto dos olhos, da boca, dos ossos ou do cérebro, as conseqüências da invasão podem ser graves. Mesmo assim, na maioria dos indivíduos, esses tumores simplesmente crescem lentamente no interior da pele. De todos os modos, a remoção precoce dos carcinomas pode evitar grandes danos às estruturas subjacentes.


Sinais de Aviso de um Melanoma
  • Nevo pigmentado (sobretudo preto ou azul escuro) que aumenta de tamanho
  • Alterações da cor de um nevo existente, especialmente frente a presença de pigmentação vermelha, branca e azulada na pele circunjacente
  • Alterações das características da pele que recobre a mancha pigmentada, como alterações da consistência ou da forma
  • Sinais de inflamação da pele que circunda um nevo já existente

Diagnóstico e Tratamento

Freqüentemente, o médico é capaz de identificar um carcinoma basocelular simplesmente pelo seu aspecto. Para confirmação diagnóstica, o procedimento padrão é a biópsia (coleta de uma amostra para exame microscópico). No consultório, o médico comumente consegue remover todo o câncer, raspando-o e queimando-o com uma agulha elétrica (curetagem e eletrodessecação) ou extirpando-o com um bisturi. Antes desses procedimentos, a área é anestesiada. Raramente, a radioterapia é utilizada. Para os tumores recorrentes e para carcinoma basocelulares semelhantes a cicatrizes, pode ser necessária a realização de uma cirurgia controlada ao microscópio (cirurgia de Mohs). Os cremes utilizados no tratamento do câncer, como os com fluorouracil, não são considerados uma terapia adequada, pois, algumas vezes, esses medicamentos permitem que o câncer se dissemine sob a superfície curada da pele.

Carcinoma Epidermóide

O carcinoma epidermóide é um câncer que se origina na camada média da epiderme. Habitualmente, o carcinoma epidermóide ocorre nas áreas expostas ao sol, mas ele pode desenvolver-se em qualquer local da pele ou em locais como a língua ou o revestimento da boca. Ele pode desenvolver-se sobre uma pele que apresenta aspecto normal ou que foi lesada (mesmo muitos anos antes) pela exposição ao sol (ceratose actínica). O carcinoma epidermóide começa como uma á rea vermelha com uma superfície crostosa e descamativa que não cicatriza. Enquanto cresce, o tumor pode tornar-se algo elevado e firme, à s vezes com uma superfície semelhante à de uma verruga. Finalmente, o câncer torna-se uma úlcera aberta e cresce em direção ao tecido subjacente. A maioria dos carcinomas epidermóides afeta somente a área circunvizinha, penetrando profundamente nos tecidos próximos. Entretanto, alguns deles disseminam-se (produzem metástases) para partes distantes do corpo e podem ser fatais. A doença de Bowen é uma forma de carcinoma epidermóide limitado à epiderme e que ainda não invadiu a derme subjacente. A pele afetada apresenta uma cor vermelho acastanhado e descama ou é crostosa e plana, às vezes similar a uma placa de psoríase, dermatite ou uma infecção fúngica.

Diagnóstico e Tratamento

Quando o médico suspeita de um carcinoma epidermóide, ele realiza uma biópsia (coleta de uma amostra para exame microscópico) para diferenciar este tipo de câncer da pele de doenças semelhantes. O carcinoma epidermóide e a doença de Bowen são tratados através da remoção do tumor utilizando os mesmos métodos descritos para o carcinoma basocelular. Freqüentemente, a ceratose actínica, uma irregularidade verrucosa da superfície da pele que pode se transformar em um carcinoma epidermóide, é tratada através de sua destruição com nitrogênio líquido ou da aplicação de um creme de fluorouracil que mata as células da pele que se dividem rapidamente.

Melanoma

O melanoma é um câncer que se origina nas células produtoras de pigmento da pele (melanócitos). O melanoma pode iniciar como um pequeno tumor cutâneo pigmentado sobre a pele normal, mais freqüentemente em áreas expostas ao sol, mas quase metade dos casos ocorrem a partir de nevos pigmentados pré-existentes. Ao contrário de outras formas de câncer de pele, o melanoma dissemina-se (produz metástases) rapidamente para partes distantes do corpo, onde continua a crescer e destrói tecidos. Quanto menos o melanoma crescer na pele, maior a possibilidade de cura. Quando o melanoma invade profundamente a pele, é mais provável que ele se dissemine através dos vasos sangüíneos e linfáticos e cause a morte do indivíduo em questão de meses ou poucos anos. A evolução da doença varia muito e parece depender da força da defesa imunológica do organismo. Alguns indivíduos sobrevivem aparentemente com boa saúde durante muitos anos, apesar da disseminação do melanoma.

Diagnóstico e Tratamento

Quando existe uma suspeita de melanoma, o médico realiza uma biópsia (coleta de uma amostra para exame microscópico). Os tumores pequenos são totalmente removidos, mas somente uma pequena porção é removida dos tumores maiores. Em ambos os casos, o patologista examina o tecido ao microscópio para determinar se se trata de um melanoma. A cirurgia pode remover totalmente um melanoma. Quando ele ainda não produziu metástases, a porcentam de cura é próxima de 100%. Entretanto, um indivíduo que já apresentou um melanoma apresenta um risco de apresentar outros. Por essa razão, esses indivíduos devem realizar exames regulares da pele. Embora a quimioterapia seja usada no tratamento de melanomas disseminados, as porcentagens de cura são baixas e o quadro geralmente é fatal. No entanto, os resultados do tratamento imunoterápico experimental com interleucina-2 são promissores.

Sarcoma de Kaposi

O sarcoma de Kaposi é um câncer que se origina nos vasos sangüíneos, geralmente da pele. O sarcoma de Kaposi pode assumir duas formas. A primeira é uma doença que afeta os indivíduos idosos, freqüentemente de origem européia, judia ou italiana, nos quais o câncer cresce muito lentamente sobre a pele e raramente dissemina- se. A segunda forma afeta crianças e homens jovens da África equatorial e indivíduos com AIDS. Esta forma do sarcoma de Kaposi cresce muito mais rapidamente e, freqüentemente, envolve vasos sangüíneos de órgãos internos. Nos homens idosos, o sarcoma de Kaposi geralmente aparece como uma mancha púrpura ou castanho escura localizada sobre os dedos dos pés ou sobre um dos membros inferiores. O câncer pode crescer vários centímetros ou mais, na forma de uma área escura, plana ou discretamente elevada, a qual tende a sangrar e a ulcerar. O câncer pode disseminar-se lentamente por todo o membro inferior. Entre os africanos e os indivíduos com AIDS, o sarcoma de Kaposi comumente aparece como uma mancha cor-de-rosa, vermelha ou púrpura, redonda ou oval. Essas manchas podem surgir em qualquer parte do corpo, freqüentemente na face. Em alguns meses, as manchas podem aparecer em várias partes do corpo, inclusive na boca. Elas também podem ocorrer em órgãos internos e em linfonodos, podendo causar hemorragia interna.

Tratamento

Os indivíduos idosos com um sarcoma de Kaposi de crescimento lento e sem outros sintomas podem não necessitar de tratamento. No entanto, as manchas podem ser tratadas por congelamento, radioterapia ou eletrocauterização (destruição dos tecidos usando uma sonda elétrica). Nos indivíduos com AIDS e naqueles com a forma mais agressiva, o tratamento não tem sido muito eficaz. A quimioterapia usando medicamentos como etopósido, vincristina, vimblastina, bleomicina e doxorrubicina tem dado resultados desapontadores. O interferon-alfa pode retardar a progressão dos tumores cutâneos iniciais e uma injeção de vincristina nos tumores pode fazer com que eles regridam. Aparentemente, o tratamento do sarcoma de Kaposi não prolonga a vida dos indivíduos com AIDS. A melhoria do estado imunológico do paciente pode acarretar uma regressão do sarcoma de Kaposi.

Doença de Paget

A doença de Paget é um tipo raro de câncer de pele semelhante a uma mancha cutânea inflamada e hiperemiada (dermatite). Ela origina-se nas glândulas cutâneas ou subcutâneas. (O nome doença de Paget refere-se também a uma doença óssea metabólica que não tem relação com esta. São doenças distintas que não devem ser confundidas) Como a doença de Paget geralmente origina-se a partir de um câncer dos condutos mamários, ele geralmente se forma em torno do mamilo. A doença de Paget também pode apresentar o aspecto de uma erupção vermelha, exsudativa e crostosa na virilha ou em torno do ânus. O tumor pode originar-se nas glândulas sudoríparas próximas. A doença de Paget é tratada através da remoção cirúrgica de todo o tumor.